Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As ironias da Carolina

As ironias da Carolina

Porquê um blog...?

 

victory.jpg

        Porquê um Blog? Porque gosto de escrever, talvez seja a melhor forma de me expressar.. E porque é uma forma de informar e mostrar que "há algo mais”.

        Na verdade, essa é uma razão mas dito assim retira toda a importância que realmente tem para mim. Os artigos que vou escrevendo, para além do carácter informativo, têm a intencionalidade de “espicaçar” muitas fragilidades que o mundo do fitness tem. Não para dar “A” resposta mas para vos fazer pensar e questionar. Facilmente tomamos por verdade metade das informações com as quais são bombardeados diariamente e muitas dessas contrariam-se, e acabamos por fazer algo que nem sempre é compatível com aquilo em que acreditamos. Se realmente querem informação CORRECTA e com evidência científica, já existem alguns blogs (poucos) que o fazem, para além dos artigos/estudos científicos nos quais deviam pesquisar e basearem-se. Portanto, mesmo eu querendo dar alguma informação, essa não é o super-sumo da minha intencionalidade.

        Quero mesmo que coloquem em perspectiva aquilo que pensam que sabem e que tomam por certo. Mais do que isso, quero que respondam honestamente se “é isto que querem” para vocês. Consideram a vossa aparência física tão importante ao ponto de 90% do vosso dia seja em redor disso? E sejemos sinceros, não estou a criticar quem treine e faça uma alimentação equilibrada. Estou a falar dos constantes extremismos, em tudo! Nos treinos, na alimentação, na mentalidade de ter que estar motivada/dedicada todos os dias, de não poder falhar, estarem “satisfeitas” mas lá no fundo pensarem “bolas, ela está melhor que eu”, do constante “ainda não estou como quero” que leva ao outro “extremo” da frustração e tristeza porque “não são como queriam”. Caramba! Colocado em perspectiva... Já viram os bons momentos que perderam?

        Já fui assim. Já acreditei que ter uma boa imagem física fosse como que um estatuto que demonstrava o quão bem em me sentia comigo mas honestamente.. Nunca me sentia realmente bem, satisfeita e contável comigo porque... A verdade é que estava a reduzir-me a uma imagem e eu sou mais que isso. Como podia não sentir-me frustrada? Simplesmente culpava essa frustração por uma imagem que não era a “perfeição” que idealizava. Há, sem dúvida, algo mais em tudo na vossa vida. Falo no passado, sendo que esse passado ainda é recente e, como tal, ainda luto para me afastar da futilidade à qual nos reduzimos constantemente. Não, eu não sou um físico espectacular. Não, eu não tenho um abdominal de sonho como outras. Não, não tenho um glúteo de fazer virar caras. Não, eu NÃO PRECISO nada disso para ser feliz.

       Parecendo que estou a divagar... A vida acontece e passa-nos ao lado quer queiram, quer não! (IN)felizmente, através da minha vida pessoal/profissional tenho tido a oportunidade de aprender com situações que comprovem isso mesmo e não são precisos estudos publicados para tal. Um piscar de olhos e tudo muda. É muito dificil colocar isso em perspectiva mas já pararam para pensar? Tomamos como garantido que viveremos muitos anos até sermos velhinhos e que vai ser tudo muito giro e como muita energia e andamos aqui nós a chatear-nos com coisas-e-coisinhas, a reduzirmo-nos ao tamanho do nosso glúteo e ao qual gluten-free a nossa alimentação é. Por outro lado, já perdemos muito tempo de qualidade com quem amamos e outras quantas horas a martirizarmo-nos ou por 1) teremos aproveitando e saído da nossa mentalidade de “no failures allowed”  ou por 2) pelo que sabemos que perdemos por estupidezes da nossa cabeça.

       Somos jovens, não eternos. Aproveitem porque nada é garantido a não ser o arrependimento do que não fizemos enão aproveitamos.