Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As ironias da Carolina

As ironias da Carolina

Glúten - Intolerância ou Ignorância?

Resultado de imagem para pão

 

          Ah.. perderia umas boas horas a falar sobre isto..! Tanta ignorância que acabou por se tornar em "intolerâncias" da moda, sem qualquer necessidade.

      Falando na nova intolerância-moda... O glúten, que muita gente nem sabe o que é ou em que alimentos se encontra, vangloriando-se da sua dieta "gluten free” mas, na verdade, ingerem-no (e não morrem...).

Info breve: a levedura de cerveja, tem glúten.... Querem mesmo retirar o glúten da vossa alimentação?

        O pão que os vossos antepassados sempre comeram - não é suposto comermos o que os nossos tetravós comiam..? - agora faz mal. Ora engorda, ora incha... Ora faz uma reacção qualquer que nem sabem muito bem mas que está lá! Jurasse a pés juntos que é do pão, mas as bolachas integrais (cujo ingrediente principal é muitas vezes o mesmo que o pão) ou muitas das barrinhas "saudáveis/proteícas".... essas tudo bem!

      Surpresa! A não ser que tenham mesmo alguma intolerância ou sensibilidade a algum alimento, não há razão para o retirarem, muito menos a razão de que “engorda”. O mesmo para o leite - podes ler aqui.

        O glúten (uma proteína), está presente na maioria dos alimentos que fornecem mais energia (como os diversos tipos de cereais de trigo, centeia, cevada...). Ora, se retirarem a maioria deste alimentos/snacks, acabam por

1) Retirarem alimentos com maior valor energético, criando um défice logo, perdem peso

2) Podem retirar um (e basta um) alimentos que não tolerassem muito bem e, com isso, verem melhorias no trânsito intestino e, consequentemente, diminuição do inchaço

Não é do pão... Nem do glúten..

         Mas como eu não gosto de fundamentalismos e aceito que hajam diferentes abordagens e alimentações, especialmente porque sei que cada pessoa funciona de forma ÚNICA, não posso negar que há pessoas que se sentem melhor sem ingerirem aliemntos sem glúten, só porque sim! Há outro factor que é SUPER IMPORTANTE mas ainda pouco compreendido - o poder do nosso cérebro e o seu efeito placebo, relativamente à forma como olharmos a alimentação.

      Ao fazermos determinada abordagem que "acreditamos" que é a melhor, psicologicamente traz alguma tranquilidade - O efeito placebo é algo real e eu acredito que funciona mesmo - mas tranquilidade nem sempre é sinónimo de coerência, moderação ou Ser saudável. NÃO! Não a partir do momento em que decidem retirar algum alimento, que no fundo até gostam (e arrepio-me ao ler tão frequenemtente algo como “ai as saudades que eu tenho de pão..!”), quando não há qualquer necessidade de nos colocarmonos numa situação de restrinção, de stress e que cria MEDO a um alimento. Para juntar a toda esta "festa", é meio caminho andado para despoletar episódios de compulsão alimentar, o que leva a um sentimento físico de mau-estar NÃO pelo alimento em si mas pelo EXCESSO... Mas culpa será do glúten, o malvado!

      Ser Saudável é ser consistente na nossa abordagem, sendo que o melhor para o Ser Humano será ser flexível, MODERADO, equilibrado e nunca restritivo - uma Alimentação Com Sentido 

       

         "Em casa onde não há pão, todos ralham e ninguém tem razão”– diziam os ossos Antigos que, segundos muitos de vós, deviamos seguir!

3 comentários

Comentar post