Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As ironias da Carolina

As ironias da Carolina

Lidar com "triggers" alimentares

           Imagem relacionada

 

      Consegui não comer o pacote todo! Isto de parecer ridículo mas, para mim, é algo no qual tenho vindo a trabalhar – compulsões...Todas temos (todas, ok?) e este texto também serve para quem me segue, vê, julga, estereotipa-me mas no fundo já passou por uma situação dessas.

    Temos muita tendência de descarregar emoções no que comemos, associando sentimentos a alimentos.        

  É inegável que quando estamos chateados/frustrados/tristes temos maior tendência a pensar em comer alimentos que consideramos maus/proibidos, criando um ciclo vicioso e uma relação pouco saudável com a comida. Como se já não bastasse associarmos sentimentos a alimentos, ainda acrescentamos o pensamento “que se lixe, vou comer tudo” – episódios de compulsão – que só nos levam a sentirmo-nos mal dispostos fisicamente mas pior, há uma frustração psicológica capaz de vos fazer sentir um falhanço.  Todos temos algum “trigger” – para mim são bolachas, para outros são batatas fritas, nutella ou frutos secos. Não importa o que é, importa é que existem e temos que os ENFRENTAR e LIDAR com eles, senão serão sempre o vosso calcanhar de aquiles. Isto em conjunto com épocas de mais stress é um cocktail.. Oh, perfeito!

     A ideia não é, DE TODO, eliminar achando que é uma maneira de lidar com o assunto – não é. Alias, só cria todas as condições propícias a que novos episódios de compulsão aconteçam frequentemente. Sempre que eliminarem algum alimento ou rotularem como “mau/proibido/vai-me engordar” então é quando o tal alimento, que é bastante inofensivo, ganha poder. Da mesma forma que eliminar não é a solução, se o consumo do tal alimento vos provocar alguma sensação de frustração/falhanço convosco ou acharem que precisam de super-compensar (ou melhor...sub-compensar, entendem?) e treinarem que nem umas desalmadas, também não resolve o assunto e andamos sempre num ciclo de Come-Compensa.

      Não julguem o que eu digo! Ponho as mãos no fogo em como não há NINGUÉM que nunca pensou “ah depois corro 2h!” ou “amanhã como só salada e sopa” - ou aquilo dos detoxs.  Não julgo porque eu também sou humana e também tenho os meus devaneios. No entanto, enfrentei o que considero como “trigger” e trabalhei tão arduamente que o deixou de ser e agora a Carolina que devorava pacotes de bolachas, come apenas as que quiser... Mesmo que sejam muitas. Eu como o que eu quero e sabe-me BEM. Sem mentalidades de “mais vale comer tudo, perdida por 100, perdida por mil”, sem sentir-me frustrada ou com necessidade de compensar.

       Permitam-se a estes bocadinhos de moderação, arranjem método para lidarem com eventos stressantes SEM culparem a comida e vão ver que com o tempo tudo resulta :)